3 notas sobre a morte de David Bowie

O que eu trouxe na bagagem da Colômbia

A(s) pergunta(s) que eu não fiz para Steve Aoki

31 de mar de 2011

De uns dois anos pra cá, o cinema passou a ser uma das paradas da música brasileira, com a proliferação de documentários sobre figuras da nossa música. Mantendo a tendência, 2011 já tem uma lista de filmes do gênero aguardando sua vez no cinema, a maioria com data de estreia já marcada (as datas podem sofrer alterações):

21 de abril
Nana Caymmi em Rio Sonata (Direção: Georges Gachot) - Documentário sobre Nana

20 de maio
Mamonas pra sempre! (Direção: Claudio Khans) - Documentário sobre os Mamonas

27 de maio
Filhos de João, o admirável mundo novo baiano (Direção: Henrique Dantas) - Documentário sobre a influência de João Gilberto na obra de Moraes Moreira, Baby Consuelo, Pepeu Gomes, Galvão e Paulinho Boca de Cantor.

Ainda sem data
Raul Seixas - O início, o fim e o meio (Direção: Walter Carvalho) - Documentário sobre vida e obra de Raul

28 de mar de 2011

Volta ou não volta?

Pondo fim a um dramalhão perpassado por desmentidos, promessas e esperas que se arrastava desde 2003, Paul veio ao Brasil em novembro do ano passado com os shows de sua Up and Coming Tour. Parecia o final feliz típico de último capítulo de novela. Só que não.

Como sugerem as notícias, que pouco a pouco ganham consistência, os shows do fim do ano passado foram só uma apoteose temporária no desenrolar dessa trama beatlemaníaca na América do Sul. A última boa nova vem do Peru. Jorge Ferrand, o empresário que negocia os shows de Paul em Lima anunciou, no último sábado, que os ingressos para a apresentação, confirmada para o dia 9 de maio, começarão a ser vendidos nesta semana. 47 mil entradas vão ser colocadas à venda. Uma coletiva de imprensa, a ser convocada também nesta semana, dará outros detalhes sobre o show do beatle naquele país.

Marco Mallagoli, fundador do fãs clube Revolution, e que vem trocando e-mails com a equipe de produção de Paul, afirma que foi dado um prazo de duas semanas para que se confirmassem todas as informações sobre a turnê sul-americana. O fim do prazo, previsto para esta semana, coincide com a previsão de convocação da coletiva no Peru.

Quanto ao Brasil, além de o Botafogo ter informado, em função da coincidência de datas com jogos do Brasileiro, que o estádio do Engenhão tem datas reservadas para apresentações de Paul (21 e 22 de maio), o empresário colombiano Juan Pablo Ospina, que tentava levar o músico para seu país, descartou a apresentação na Colômbia, mas deixou escapar que o beatle passará por Peru, Chile e Brasil.

No Chile, a produtora que tentou levar a Up and Coming Tour para o país no ano passado, sem dar detalhes, pediu que o público reservasse na agenda o dia 11 de maio.

Vale lembrar, essa segunda fase da novela começou em dezembro do ano passado, quando jornais chilenos afirmaram que o Estádio Monumental estaria reservado para Macca no dia 14 de abril.

Cruzando informações (e os dedos também), tudo leva a crer que, ao menos, negociações para novos shows por aqui estão ocorrendo. Tudo pode acabar sendo adiado para meses, anos mais tarde. Tudo pode ir por água abaixo. Ou tudo pode dar certo. Aguardemos cenas dos próximos capítulos.

24 de mar de 2011

Pegando carona nos shows que U2 fará no Brasil dentro de duas semanas, salas de cinema de cerca de 40 cidades exibirão, neste fim de semana, o filme U2 3D, que registra em três dimensões a Vertigo Tour, em sua passagem pela Argentina, em 2006. Pode-se dizer que esta é uma "estreia tardia" uma vez que, em 2008, quando o filme foi lançado, somente São Paulo, Rio e Florianópolis, que à época já tinham salas com a tecnologia 3D, exibiram cópias do longa.



Aqui em BH, o filme ficará em cartaz no Usiminas Paragem de Cinema.

U2 3D
Sexta e sábado (25 e 26/03) às 21h30 e 23h30; domingo (27/03) às 21h30
Ingressos: R$19 (valor para projeção 3D)
Usiminas Paragem Cinema
Av. Professor Mário Werneck, 1360, Buritis – Telefone: (31) 3378.0216 / 3377.2552

22 de mar de 2011

O artista inglês Joe Simpson, muito afeito a pintar retratos, está produzindo uma série somente com imagens de músicos. Pra conferir, é só passar no site dele.

Jamie Cullum


Maxi Jazz (Faithless)



Ezra Koening (Vampire Weekend)

17 de mar de 2011

Maria Bethânia, como muitos que circulam por essa terra sem lei chamada internet devem saber, apresentou projeto ao Ministério da Cultura para criação de um blog ao custo de R$1,3 milhão. A ideia é postar, diariamente, vídeos nos quais ela declama poesias. Em tempos de Blogger, Wordpress e Tumblr, muita gente chiou. Por que todo esse montante é necessário se tanta gente posta faz blogs e vídeos de graça, a torto e a direito?

Obviamente, houve também quem defendesse a ideia e tentasse pôr freios nas críticas. De fato, como alguns defensores do projeto argumentaram, o Ministério da Cultura não repassou este valor à equipe do projeto, apenas autorizou que a quantia fosse captada junto a empresas (que teriam o valor dedudzido do imposto de renda). Nesse sentido, não há garantia de que se obtenha o dinheiro, principalmente depois do furdunço gerado pelo projeto - imagino que muitas empresas hesitariam em associar seu nome ao controverso blog.

Mas, e se os R$1,3 milhão previstos forem captados? Seguindo à risca o que consta no relatório do projeto, chegamos ao X da questão (ao meu ver):

1) R$600 mil seriam pagos ao diretor artístico (Bethânia, conforme especificado em trecho do relatório)
2) R$120 mil seriam pagos ao coordenador do projeto
3) R$120 mil seriam pagos ao coordenador editorial

Desconsiderando a dificuldade de diferenciar essas três funções, que se sobrepõem umas as outras, R$840 mil, o equivalente a 64%, iriam direto para o bolso de três pessoas. Ou, em outras palavras, mais da metade do dinheiro não seria usada para a execução direta do blog.

Alguém pode pensar: "mas ninguém trabalha de graça, certo?". Certo, mas a essa altura do campeonato os envolvidos no projeto (Bethânia, Andrucha, Hermano Vianna) já têm suas carreiras consolidadas, respeitadas, reconhecidas e são muito bem remunerados pelo que fazem. Não dependem do blog como fonte primária de renda. Ponto.

16 de mar de 2011

Aí o Justice fica quatro anos sem lançar nada e, quando aparece com material novo, faz o lançamento do single, "Civilization", em um comercial da Adidas. Não sei se (1) isso pode sinalizar um novo modelo de negócios (bem promíscuo) para a música, (2) uma nova rendição da música às grandes corporações em plena era de ruína das gravadoras, (3) ou se o vídeo contém uma mensagem subliminar do sistema malvado para nos convencer a comprar tênis da Adidas.

Em 1985, um grupo de 155 artistas (isso mesmo), que incluía medalhões da já então consolidada MPB (Chico, Tom), os representantes do pop rock nascente (Ultrage, Lulu Santos), remanescentes da finada Jovem Guarda (Roberto, Erasmo e Golden Boys), sambistas (Paulinho da Viola, Beth Carvalho) e até as rivais do rádio Emilinha Borba e Marlene, se reuniu para gravar o compacto Nordeste Já, cujo fim era arrecadar fundos para a população carente daquela região do país.

No lado A, "Chega de Mágoa", criação coletiva de alguns dos artistas participantes da gravação - música meio mal resolvida, que não sabe se deságua de vez na pieguice inevitável desse tipo de projeto ou se liberta o balanço musical que ela insiste em conter.



No lado B, "Seca D'Água", um poema musicado de Patativa do Assaré, que consegue fugir da habitual atmosfera coitadinha e comovente para assumir um tom mais otimista.



Mais detalhes aqui.


15 de mar de 2011

Exatos cem anos após a descoberta do núcleo atômico por Rutherford, quem diria, as partículas elementares do átomo servem de metáfora para ensinar teoria musical. Com um professor de luxo, nada mais, nada menos que o maestro norte-americano Leonard Bernstein, aprende-se que os átomos estão para a matéria assim como os intervalos estão para a música. Não entendeu? Assista:




Neste canal
do YouTube tem várias outras aulas de teoria musical com Bernstein. Preciosidade.

14 de mar de 2011





Em tempos de MP3, downloads e afins, boa ideia a do tumblr Animated Albums, que adapta capas de disco a essa nova realidade. Mais aqui.

11 de mar de 2011

Agora não tem mais desculpa. Todos os discos listados no livro "1001 discos para ouvir antes de morrer" podem ser ouvidos neste link, em streaming. Mais fácil que 1, 2, 3, a, b, c. É só apertar o play.

9 de mar de 2011

Tem gente reclamando do título de campeã do Carnaval do Rio dado à Beija-Flor, que neste ano homenageou Roberto Carlos. Acham suspeito uma escola que fez enredo sobre artista exclusivo da Globo ganhar uma competição cuja exclusividade da transmissão é da Vênus Platinada. E lembram, ainda, que a Beija-Flor não é lá flor que se cheire, pois carrega suspeitas de ligação com um dos maiores bicheiros do Rio. Sugerem que o título foi comprado. Marmelada, em termos mais eufemísticos.

Não questiono as tramóias. Uma engrenagem tão complexa quanto o Carnaval carioca, que envolve verbas públicas, milionárias cotas de patrocinadores e o importantíssimo (para todos nós, brasileiros, mas também para quem manda na cidade) valor simbólico, cultural e turístico da cidade, não está livre dos assédios do poder (político, midiático, etc).

Mas não deixemos que essas especulações deslegitimem a homenagem que Roberto recebeu. RC é maior que tudo isso. Não há dinheiro que pague o reconhecimento da carreira do rei. Não importam os motivos da guerra, celebrar uma trajetória artística é mais importante.

Ah, e é Carnaval, gente. Amanhã tudo volta ao normal.

4 de mar de 2011

Não me perguntem o porquê, mas me deu na telha procurar mashups do Sinatra no YouTube. Acabei achando o sensacional vídeo abaixo. Gostei. Muito.

2 de mar de 2011

É com os sussurros de Jane Birkin em "Je t'aime, moi non plus" que Serge Gainsbourg habita o imaginário de muita gente. Mas o cantor francês, cuja morte completa hoje 20 anos, "causou" muito mais do que simplesmente incluir o orgasmo da esposa (Jane) na música escrita para a amante (Brigitte Bardot).

Com uma versão em ritmo de reggae do hino francês, a famosa Marselhesa, motivou uma campanha que queria expulsá-lo de seu país.



Com a música "Les Sucettes" (Pirulitos), colocou a então jovenzinha cantora France Gall para cantar versos de duplo sentido que aludiam ao sexo oral, sem que a garota de 18 anos compreendesse a ambiguidade da letra - pelo menos é o que reza a lenda. Acredite quem quiser (neste link há uma versão escancaradamente sugestiva do clipe feito para a música. Sabe-se la por qual motivo, todos os vídeos dessa versão estão com a função de incorporação desativada).


Les Sucettes - Serge Gainsbourg & France Gall from alex mcgrorty on Vimeo.
Por ocasião das duas décadas de morte do cantor, o Le Monde fez uma seleção com algumas de suas músicas, dando a oportunidade de conhecer um pouco do universo nada conservador de Gainsbourg. Vá .

1 de mar de 2011


O post de hoje vem logo cedo porque a boa desta terça-feira está marcada para daqui a pouco: às 16h, horário de Brasília, a NPR, rede de rádios norte-americana, toca todas as 12 faixas numa espécie de lançamento do já "semi-lançado" Collapse Into Now", novo álbum do R.E.M. Todo mundo pode ouvir neste link.

É fato que a banda já liberou cinco músicas nos últimos meses, mas em se tratando de Michael Stipe e sua turma, quanto mais, melhor.

A quem interessar possa, o disco ganha uma versão física e chega às lojas na próxima segunda-feira (7), à moda do século passado.
Tecnologia do Blogger.