3 notas sobre a morte de David Bowie

O que eu trouxe na bagagem da Colômbia

A(s) pergunta(s) que eu não fiz para Steve Aoki

25 de jul de 2009

Em maio fiz um post falando sobre a picaretagem por trás do retorno de bandas com atividades já encerradas. Basicamente, mostrei com exemplos práticos como esse retorno é puro fogo de palha: a banda causa um alvoroço com o anúncio de sua volta, faz uns showzinhos e, tão logo quanto possível, anuncia que vai parar, mais uma vez.

Hoje, lendo notícias, me deparo com esta manchete:

"Vocalista do Blur descarta retorno definitivo do grupo"


Sem contar que, semanas atrás , tinha lido isto aqui:

"New Kids on the Block cancelam turnê internacional de retorno"

Pois é...Eu já sabia.
Ontem fiz um post listando os clipes novos lançados esta semana. Sinto-me obrigada a dar continuidade a ele depois de descobrir, há alguns minutos, que o Friendly Fires também lançou clipe novo esta semana (mais precisamente, ontem), o da música "Kiss of Life".

Por que vale a inclusão deles na lista, mesmo que "atrasada"? Porque esses britânicos declaradamente fãs de samba, calypso e outros ritmos latinos são um exemplo de que como somar/incluir pode ser mais interessante que subtrair/excluir.

"Só a antropofagia nos une. Socialmente. Economicamente. Filosoficamente."




A propósito, o Friendly Fires vem ao Brasil em agosto para dois shows, um no Rio (15) e outro em São Paulo (17).

24 de jul de 2009

Para os pops de plantão, este blog reúne num só post três clipes lançados esta semana:

- Coldplay, Strawberry Swing
- Mallu Magalhães, Vanguart
- U2, I'll Go Crazy if I don't Go Crazy Tonight

Curiosamente, os três usam técnicas de animação.





20 de jul de 2009

Os Beatles são os maiores da história do pop e ponto - não há o que discutir. Mas, vez ou outra, é bom dar uma reforçada nisso. E é o que vai acontecer na cabalística data de 09/09/2009. Neste dia, uma operação grandiosa vai inundar as lojas com uma enxurrada de novos produtos dos Fab Four, encabeçados pelo lançamento do game The Beatles: Rock Band.

Como nada neste mundo escapa das garras do capitalismo, nem a grandiosidade dos rapazes de Liverpool, toda essa farra vai custar caro. Muito caro. Veja na lista abaixo o preço de cada lançamento, já em pré-venda na internet:

The Beatles: Rock Band
A grande estrela da festa sai por U$56,99 se for comprado só o software do jogo. Os instrumentos avulsos custam U$99,99 cada. O pacote completo sai por U$249,99.

The Beatles Mono Box Set
A caixa com todos os álbuns remasterizados (exceto Yellow Submarine, Abbey Road e Let It Be, que foram gravados em estéreo) e guardados em capas que lembram mini LP's custa U$239,99.

The Beatles Stereo Box Set
A caixa com os 13 álbuns de estúdio, mais o Past Masters e um mini-documentário sobre a produção de cada um dos discos sai por U$207,99. Vendidos separadamente, cada álbum sai por U$12,99, exceto o White Album (U$17,99) e o Past Masters (U$18,99).

Box of Vision
Uma caixa especial para guardar os CD's remasterizados. Vem acompanhada de um livro de 200 páginas com informações sobre a arte das capas de cada um dos discos da banda e de um catálogo com as letras de todas as músicas e outras informações sobre a discografia da banda. U$80.

Trivial Pursuit The Beatles
Jogo de perguntas e respostas sobre a história da banda. U$34,95.

Total da conta
U$604,93 ou R$1.161,43 (na cotação de 17/07, com o dólar a R$1,92). A conta considerou a caixa dos CD's remasterizados em estéreo. Se a opção for pela outra, o valor cai U$32 ou R$61,44.

Curioso. Outro dia ouvi falarem por aí que o mundo está em crise...

16 de jul de 2009

Duas novidades que chegam aos cinemas do exterior, mas que merecem a torcida para que passem por aqui tão logo quanto possível:

1)Beyond Ipanema: Ondas brasileiras na música global
Documentário do jornalista Guto Barra e do produtor Béco Dranoff que relata os vários momentos de (re)descoberta da música brasileira mundo afora, de Carmen Miranda ao funk carioca. Caetano, Gil, Seu Jorge, David Byrne, M.I.A, Devendra Banhart e outros mais dão as caras no filme.

O longa estreia nesta sexta (17) na Premiere Brazil, mostra de cinema brasileiro que ocorre todos os anos no Museum of Modern Art (MoMA) de Nova York.



Mais detalhes em beyondipanema.com.

2)Live Music
Produção típica desses tempos modernos, o curta de animação foi feito de forma colaborativa via internet. Animadores de todo o mundo criaram direto de seus computadores cenas para o filme e os internautas votaram nas melhores pelo Facebook.

A soma das contribuições de 51 pessoas resultou na história de amor entre Riff, uma guitarra, e Vanessa, um violino, que vivem juntos em uma loja de música. O guitarrista Steve Vai e a violinista Ann Marie Calhoun assinam a trilha sonora.

O curta deve ser exibido pela primeira vez em 20 de novembro, antes da estreia de Planet 51, nova animação da Sony.



Enquanto o filme não é finalizado, é possível acompanhar parte de sua produção neste link. Há vários vídeos de bastidores, como um em que Steve e Vanessa tocam juntos um dos temas do curta, "Somoke on the Water" do Deep Purple.

15 de jul de 2009

Acredite, assim como a mulher, o homem tem um dia para ser homenageado: hoje, 15 de julho. Os sites me contam que o Dia do Homem foi criado a partir de uma proposta do ex-presidente russo Mikhail Gorbachev.

Para celebrar a data, vamos ouvir e ver "Homem com H", na voz de Ney Matogrosso. Pela combinação entre letra e intérprete, a música coloca a masculinidade de pernas pro ar, o que, por sinal, é uma marca dos dias de hoje.

Claro, a indicação da música também não deixa de ser um pretexto para ver Ney em ação.

13 de jul de 2009

Aproveitando ainda o Dia do Rock, fica a dica de um achado hilário relacionado à data: um cover de Elvis que só faz versões de outros artistas, desde que eles já tenham morrido. O nome da figura é James Brown (!!!) e o nome artístico é, humilde e despretenciosamente, The King. Sob este pseudônimo, ele lançou em 1999 o álbum The Gravelands, com versões para hits de Bob Marley, Jimi Hendrix e outros mais. Abaixo, algumas pérolas:

Come As You Are, do Nirvana, em homenagem a Kurt Cobain




Whole Lotta Rosie, do AC/DC, em homenagem a Bon Scott



Veja também as versões que The King fez para Whiskey in The Jar, do Thin Lizzy, e Love Will Tears Apart, do Joy Division.
No dia em que este fenômeno histórico chamado rock'n'roll é celebrado, este blog dá destaque para um vídeo que mostra que décadas (sim, décadas!) antes dos acordes de Little Richard e do rebolado de Elvis já tinha gente ajudando a gerar o que viria a ser conhecido, a partir dos anos 50, como rock. Os registros indicam que nos anos de 1910 e 1920 já se falava em rock. Ou seja, estamos diante de um senhor centenário. Portanto, respeito!

10 de jul de 2009

Para entrar no clima do show que Roberto Carlos faz amanhã no Maracanã, como parte das celebrações de seus 50 anos de carreira, o G1 fez uma lista das 15 canções essenciais da obra de RC. Reproduzo a lista aqui, só que com um bônus: clique no nome da música para ouví-la. Selecionei versões feitas por nomes de várias vertentes da música brasileira, o que dá uma dimensão da realeza de Roberto.

“Parei na contramão” (1963), na voz de Os Vips

“É proibido fumar” (1964), na voz de Samuel Rosa

“Quero que vá tudo pro inferno” (1965), na voz de Nara Leão
“Namoradinha de um amigo meu” (1966), na voz deJoão Penca e seus Miquinhos Amestrados
“Se você pensa” (1968), na voz de Gal Costa

“Não vou ficar” (1969), na voz de Tim Maia

“Todos estão surdos” (1971), na voz de Chico Science e Nação Zumbi
“Você não serve pra mim” (1967), na voz de Nasi

"Eu te amo, te amo, te amo" (1968), na voz de Marisa Monte

“Como dois e dois” (1971), na voz de Caetano Veloso
“As curvas da estrada de Santos” (1969), na voz de Elis Regina

“Sua estupidez” (1969), na voz de Paulo Miklos

“Detalhes” (1971), na voz de Erasmo Carlos

“As canções que você fez pra mim” (1968), na voz de Maria Bethânia
“Amigo” (1977), na voz de Leonardo

9 de jul de 2009

Ótimo texto do sempre inteligente Pedro Alexandre Sanches na Revista Cult deste mês dá uma cutucada em todos nós ao tratar das razões que nos levam a gostar, ou não, de determinado artista ou música. Vale muito a pena ler o texto todo (disponível aqui) para entender o raciocínio dele, mas seleciono um trecho que sintetiza o argumento.

Apreciação estética está lá atrás em nossas listas de prioridades - não raro enchemos a boca para miar que não ouvimos e não gostamos deste ou daquele "cafona". Não, os regentes de nossos "gostos" e "sensibilidades" musicais são mesmo os nossos preconceitos - sobre cor da pele, status social, sexo, orientação sexual, escolaridade ou o que for. A estética, coitada, é o bode expiatório que paga todo o pato.
Para refletir, o que sempre faz bem.

8 de jul de 2009



A Rolling Stone Brasil deste mês circula com duas capas: uma com Ronaldo e outra com Michael Jackson. Dentro da revista, um perfil do jogador de futebol e um especial de 21 páginas em homenagem ao rei do pop.

Leia trechos da reportagem sobre Ronaldo aqui e do especial sobre Michael Jackson aqui.

4 de jul de 2009

Tem coisas que, de tão toscas, chegam a ser legais. Esse é o caso do novo clipe do Franz Ferdinand, "Can't stop feeling". O vídeo brinca com a continuidade e descontinuidade dos planos, com cortes e montagem com jeitão bem anos 80 (reforçado pelas batidas da música). Um barato de se ver e ouvir.

1 de jul de 2009

O U2 fez ontem (30) em Barcelona o show de estreia da 360º Tour, excursão do álbum No Line on the Horizon. 90 mil pessoas viram os quatro irlandeses se apresentar em um palco circular, coberto por uma estrutura cujo formato faz lembrar as garras de sabe-se lá que tipo de criatura - não por acaso, a criação foi batizada de the claw = a garra. Pelo visto, as turnês anteriores (Zoo TV, Pop Mart, Vertigo) não foram suficientes para a banda esgotar as possibilidades de parafernália criativa para a estrutura de palco.

A banda tem shows agendados até outubro, na Europa, nos EUA e no Canadá. Brasil, por enquanto, só no "modo de espera".

Tecnologia do Blogger.