27 de jan de 2014

É um filme do Scorsese, mas parece uma tarde à toa diante da TV vendo a MTV nos anos 1990

É até injusto centrar um texto sobre "O Lobo de Wall Street" em sua trilha sonora e não na acachapante epopeia cinematográfica com que Scorsese e Leonardo DiCaprio nos presentearam, mas como a especialidade aqui é música e não cinema, não tem outro jeito. Então, é o seguinte: ouvir boa parte das músicas que ambientam as cenas é como passar uma tarde vendo a MTV de uns 17, 20 anos atrás. É como se alguém tivesse entrado num túnel do tempo rumo aos anos 1990 e escolhido aleatoriamente alguns dos hits que estão por aí flutuando em algum lugar do passado.

Estão lá para ilustrar as extravagâncias sexuais, químicas e alcoólicas de Jordan Belfort e seu esquadrão de trapaceiros gananciosos: "Hip Hop Hooray" (Naught by Nature), "Insane in the Brain (Cypress Hill), "Baby Got Back" (Sir Mix a Lot), "Everlong" (Foo Fighters) e "Mrs Robinson", (na versão que estourou com o Lemonheads na referida década).

A ação do filme se desenrola majoritariamente nos anos 1990 (apesar de começar em fins dos 1980) e narra a montanha-russa que foi a vida esbanjadora de Jordan Belfort, corretor da vida real que, no período, faturou US$ 50 milhões com a empresa Stratton Oakmont, deu prejuízo de US$ 200 milhões em seus investidores e foi condenado por fraude e lavagem de dinheiro. O filme concorre a cinco prêmios Oscar (filme, diretor, ator - DiCaprio, ator coadjuvante - Jonah Hill, e roteiro adaptado). A trilha sonora, que não recebeu indicação, ataca ainda de clássicos do blues e do jazz e traz Bo Diddley, Charles Mingus e John Lee Hooker.

Um trailer alternativo, feito por fãs, usa "Everlong" como tema principal da história.


0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.