21 de abr de 2014

Este senhor ajudou a salvar alguns rocks

Os gramofones que as matronas francesas levaram para Macondo devem ter feito ecoar pelas ruas da cidade as vozes de Alex Turner, Michael Stipe e Thom Yorke dia desses. Talvez o realismo fantástico de Gabriel García Márquez não nos permita ir tão longe assim, mas o fato é que o rock se deparou com Gabo e sua escrita em algum ponto do caminho e transformou o encontro em influências declaradas ou referências pontuais.

Com ar de frescor, a influência mais abertamente expressa da obra do colombiano incide hoje sobre o frontman do Arctic Monkeys, Alex Turner. Não foram poucas as vezes, em entrevistas recentes, que o músico revelou ter se inspirado no universo de García Márquez para compor as músicas do elogiado "AM" (2013), disco que marca uma virada qualitativa na sonoridade e na estética da banda britânica. "No começo, talvez minhas composições fossem mais próximas de algum tipo de realismo e, nesse disco, elas soam mais como realismo mágico", disse à HBO, citando a interferência de suas leituras de Márquez no seu processo de composição.

"Arabella", o mais recente single do disco, é a faixa que deixa escapar mais claramente essa inspiração. "Seus lábios são como a beira da galáxia e seu beijo como a cor de uma constelação", canta Turner sobre os delírios provocados pela sedutora figura feminina retratada na música.



De maneira mais discreta, outro britânico também deixou entrever suas leituras de Gabo. Nos tempos melódicos do álbum "Pablo Honey" (1993), Thom Yorke escreveu para o Radiohead "Banana Co.". O lado B do single de "Pop is Dead" alude à instalação da companhia bananeira em Macondo, onde se passa a saga dos Buendía em "Cem Anos de Solidão". Os versos tratam das mudanças provocadas pela empresa na cidade, da expectativa de prosperidade capitalista à ruína que culmina em uma rebelião trágica dos trabalhadores: "Banana Co, nós realmente precisamos de você, mas está tudo em chamas e nós temos que extinguí-las".



O R.E.M lembrou o escritor colombiano no clipe de seu maior sucesso, "Loosing My Religion" (1991). A referência que mais salta aos olhos é a das pinturas quase fotográficas de Caravaggio, mas há citação visual também do conto "Um Senhor Muito Velho Com Umas Asas Enormes", sobre um anjo que cai no quintal da casa de uma família após uma forte chuva. Um anjo velho, frágil e debilitado, tal qual a criatura descrita pelo autor no conto, também cai direto do firmamento.  Além disso, o próprio Michael Stipe aparece acompanhado de asas enormes em algumas cenas.

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.