2 de abr de 2014

Se precisar de cheerleader, a seleção dos Estados Unidos já sabe com quem contar

Copa do Mundo é legal, assuma. E uma das coisas que faz a competição ser legal é o envolvimento direto ou indireto do pessoalzinho do pop - não estou falando necessariamente das músicas chapa-branca da Fifa. Com a proximidade do mundial, começam a aflorar em número maior os encontros entre música e futebol. Exemplo 1: as moças do Haim e o Diplo são alguns dos modelos do uniforme que a seleção norte-americana vai usar no Brasil. Filha de um jogador de futebol, Alana Haim postou em seu perfil no twitter a foto em que posa ao lado das duas irmãs e entregou: "estava sentindo falta do meu primeiro amor... #GOUSA".



Já o belga Stromae - aquele de "Alors On Danse" - ataca na sua própria área, a música, para impulsionar a campanha de seu país natal. É dele o tema oficial dos diabos vermelhos para a Copa no Brasil. "Ta Fête" é aquela mistura já conhecida de hip hop com dance music que fez o moço famoso, mas o mais legal da história é o vídeo de divulgação da música. Antes de apresentar a canção, com um certo humor disfarçado, Stromae brinca de tentar convencer jogadores e técnico belga sobre como sua música é legal para incentivar o time.



2 comentários:

  1. Um gênero que todo mundo cresceu com e amado (se não agora, pelo menos quando eles eram mais jovens) é pop. Música pop é feita para ser saltado para, e faz você feliz, independentemente de a canção está cantando sobre a queda no amor, ou ter seu coração partido.Gamedesire

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.