15 de set de 2009

Conforme prometi no post de ontem, falo hoje de um estudo que quantificou recorrências de palavras na música brasileira - mais especificamente, as rimas mais usadas pelos compositores. Apesar de ser meio antiguinho o trabalho, vale a pena falar para quem ainda não conhece.

O estudo em questão é "É o amor - Lugares-comuns na música brasileira por suas rimas", trabalho de conclusão de curso feito em 2007 pelo então estudante de jornalismo pela USP Gustavo Martins. Ele analisou 3.073 rimas dentre as músicas brasileiras que estiveram entre as cem mais tocadas nas rádios entre 2001 e 2005 e concluiu: o par "assim/mim" é o preferido na hora de rimar. Nas contas de Gustavo, uma música em cada oito tem a referida rima em seus versos. "Preciso te Amar", do Grupo Revelação, lançada em 2003, serviu de exemplo:

"Vem pra mim
Não faz assim
Dê logo um fim nessa tortura
Nosso romance tem que se eternizar"

A praticidade em usar as duas palavras, por muitas das vezes elas não representarem o foco semântico da composição, e a valorização do indivíduo em relação ao coletivo explicariam a preponderância de composições que focam no "eu".

Na sequência de rimas campeãs de utilização vem "coração/paixão", "dizer/você", "fim/mim", "esquecer/você", "coração/solidão", "ver/você", "amor/dor", "assim/fim", "carinho/sozinho", "coração/mão".

Você de novo
O estudo também contabilizou os verbos mais usados e as palavras mais recorrentes na hora de rimar. No primeiro caso, os que mais se repetem são: amar, encontrar, ver, esquecer e falar. Quanto às palavras, adivinhem só, assim como no caso dos Beatles, "você" está no topo da lista. Em seguida vem coração, amor, mim, assim.

Em homenagem a "você", duas músicas cujos versos fazem pensar nessa relação de obsessão com "você" (uma, inclusive, usa também o par de rimas mais usado no repertório nacional):

Você é algo assim, é tudo pra mim... Ou...



Você não vale nada, mas eu gosto de você!

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.